odontologia

Odontologia x crise: é possível recolher menos tributos

Manter a estabilidade financeira no concorrido mercado odontológico, em um momento de recessão, volta da inflação e alta carga tributária, requer a adoção de medidas que visem à sobrevivência da empresa. As clínicas de odontologia não estão imunes ao cenário de retração econômica: a frequência de pacientes pode diminuir, e o faturamento, não ser o suficiente para cobrir as despesas do estabelecimento. Nessa conta entram os tributos, que absorvem grande parcela das receitas, mas que podem, mediante um bom planejamento, ser minimizados.

Clínicas odontológicas que praticam serviços como implantodontia, ortodontia, extração dentária e demais procedimentos cirúrgicos, desde que inseridas no regime de Lucro Presumido, conseguem enquadramento fiscal diferenciado, reduzindo sua tributação à metade. Mediante uma reorganização societária e tributária é possível diminuir licitamente a incidência de tributos para cerca de 6% sobre o faturamento – em substituição aos 11,33% exigidos normalmente.

Para uma empresa que fatura R$ 50.000,00 por mês, a reestruturação resulta no recolhimento de R$ 2.965,00 a título de tributos federais, no lugar dos R$ 5.665,00 recolhidos habitualmente. Neste caso, a economia alcança R$ 32.400,00 em um ano.

Dito isso, é importante lembrar que o Simples Nacional, regime para o qual muitas clínicas migraram em 2015, não é necessariamente o melhor caminho. Com taxas que variam de 16,93% a 22,45%, a tributação pode superar quase quatro vezes àquela prevista no Lucro Presumido.

O único benefício às clínicas de odontologia no enquadramento Simples é a isenção do INSS (contribuição previdenciária) sobre a folha de pagamento. Contudo, consideradas as altíssimas alíquotas, sua opção somente é válida caso a empresa possua uma folha de pagamento alta, que represente cerca de 40% dos gastos. Caso contrário, a escolha trará prejuízo.

Embora o Simples elimine boa parte da burocracia, nem sempre é vantajoso financeiramente para o contribuinte. Diante dessa situação, é imprescindível ter uma boa assessoria, com análise da atividade desenvolvida, simulação e cálculo dos valores devidos em cada regime tributário, principalmente para se conferir maior rentabilidade ao negócio. E há um motivo para isso: a complexidade tributária brasileira faz com que cerca de 90% das empresas paguem mais tributos do que o devido. Será que a sua empresa é uma delas?

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *